Homens namorar homens mais velhos

Eu sempre fui muito certinho

2020.10.27 01:03 jogarfora1991 Eu sempre fui muito certinho

Eu (H 29) sempre fui um cara muito certinho. Não flertava com as mulheres porque era muito tímido. Comecei a namorar tarde, com 23 anos, e dei meu primeiro beijo nessa idade. Com a minha namorada eu sempre tive muito medo de ter filhos e sempre fomos precavidos com relação a isso. Sempre tive o ideal de ter melhores condições financeiras antes de ter um filho. Hoje eu estou chegando perto dos 30 anos, e continuo sem filhos, e nunca estive com outra mulher além da minha primeira e única namorada. Eu começo a pensar sobre estar ficando velho. Hoje muitas mulheres flertam comigo e eu não vou adiante por estar comprometido. Eu gosto da minha namorada, e acho que ficaria absolutamente só se nós terminarmos o relacionamento, pois não tenho muitos amigos e sei que, embora muitas mulheres flertem comigo, na maioria das vezes eu não iria desenvolver uma relação mais profunda com elas mesmo se eu estivesse disponível. Eu sinto que não vivi o que a maioria dos homens viveram, eu sinto falta do jogo de sedução, mas eu gosto da minha namorada e não sei se conseguiria continuar sem ela. Eu sinto que essa vida de solteiro pegador é absolutamente vazia, mas eu também me sinto vazio por não ter tido estas experiências. Complicado, né? Eu inverti a lógica das coisas, pois deveria ter tido essas experiências até encontrar alguém que combinasse comigo, e então ir para o felizes para sempre, depois de passar por muitas decepções. Eu pulei para o final e agora fico eternamente pensando: e se?
Além disso hoje eu começo a repensar todo o meu planejamento com relação a filhos. Ainda acho que não tenho condições de tê-los, embora já seja formado e pós graduado, tenha minhas economias e meus planos traçados. Mas fico pensando se eu não seria mais feliz se tivesse deixado tanto planejamento de lado e engravidado a minha namorada lá atrás, sem profissão e sem dinheiro mesmo. Eu ia passar um sufoco danado, mas hoje eu teria um moleque ou uma garotinha com uns 6 anos de idade para me chamar de pai e a quem eu poderia dar muito amor e carinho (eu até chorei escrevendo isso).
É estranho, mas eu olho para os caras que tiveram filhos não planejados, fora de um casamento, e dão um duro danado para compensar esta "irresponsabilidade" e eu penso que talvez eu seria mais feliz se eu fosse um desses caras.
Talvez a vida devesse ser menos certinha, menos planejada, e mais vivida.
submitted by jogarfora1991 to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 16:26 fobygrassman ENCONTRE COROAS CASADAS HOJE

ENCONTRE COROAS CASADAS HOJE Conheça coroas, MILF's, e Mulheres Maduras brasileiras reais em menos de 2 horas, garantido!
Como Pegar Uma Coroa no Brasil Escrito por uma coroa verdadeira casadas
Quero namorar com uma coroa casada! Como eu namoro com uma coroa? Quais são os melhores sites de namoro de coroas? MILFs e coroas são a mesma coisa?
Não sei dizer quantas vezes já ouvi esta pergunta como especialista em namoro.
Originalmente minha resposta foi simples, pesquise no google sites de namoro de coroas e se compromete com um casal que você goste.
No entanto, há um grande problema com sites de namoro de coroas que afirmam ser focado em torno de mulheres maduras, MILFs, e coroas que estão buscando um homem mais jovem (referido como um "boytoy" ou "filhote".....
Eles não funcionam! E aqui estão 4 razões para isso: Não se preocupe, eu também lhe direi a melhor maneira de garantir um encontro com uma coroa casada ;)
  1. Não há coroas suficientes para dar conta Isto sobre isso, pumas são uma das categorias mais populares de pornografia. Em 2018 foi mostrado que "milf" foi a terceira coisa mais procurada em sites pornográficos. Cada jovem tem uma fantasia de mulher mais velha, mas quantas mulheres mais velhas você acha que estão assistindo a esses vídeos?
  2. A competição é grande! Para cada 1 coroa há 10-20 homens jovens tentando chamar sua atenção. Suas caixas de entrada estão cheias de mensagens não lidas. Minha tia é uma coroa autoproclamada, ela se inscreveu para um site de namoro de coroas uma vez, depois de obter +100 mensagens em seu primeiro dia ela nunca voltou. Então, se você é um cara jovem à procura de uma coroa você vai encontrar alguma competição séria. Pegando sua atenção é quase impossível e mesmo se você conseguir não há nenhuma garantia que ela vai estar interessada.
  3. Coroas não precisam do site Como eu mencionei antes, coroas são muito procuradas. Elas podem gritar pela janela e conseguir uma fila de caras. As coroas são mais propensas a namorar ou dormir com alguém que elas conhecem pessoalmente, elas são da antiga assim. Então, boa sorte competindo com o seu piscineiro, jardineiro, ou filho de amigos enquanto você é apenas um cara da internet
  4. Você precisa estar entre 24-29 para ter uma chance Já existe uma quantidade gigantesca de competição, mas a situação piora. Se você não está entre 24-29 você está em uma desvantagem séria. Uma pesquisa recente de coroas determinou que a idade ideal para um boytoy é 26 anos e a faixa etária média que elas poderiam até mesmo CONSIDERAR está entre 24-29. Há obviamente umas exceções mas são uma porcentagem pequena de um grupo já pequeno.
Disse a verdade sobre sites de encontros de coroas, mas provavelmente ainda está perguntando; OK, eu concordo que os sites de namoro de coroas são um desperdício de tempo, mas o que eu faço em vez disso?
Bem, você está com sorte porque há um pequeno truque muitas vezes negligenciado para aqueles que procuram coroas, sites de infidelidade! Isso mesmo, sites de traição são ótimos para encontrar coroas.
Estão aqui 6 razões porque os sites de traição ganham de sites de coroas para encontrar mulheres maduras:
  1. A grande maioria das mulheres lá são casadas, o que significa que a idade média é de cerca de 37-38 anos, a idade de coroa ideal!
  2. Você está competindo com caras mais velhos Esta é uma vantagem em tantas maneiras. Em primeiro lugar, você vai se destacar de todos os outros caras devido à sua juventude e condicionamento físico. Imagine uma coroa gostosa procurando através de homens perto dela e vendo foto após foto de caras velhos, fora de forma. Homens como seus maridos, que não as satisfazem.... Aí eles vêm através de seu perfil! Você é jovem, você está em forma (especialmente em comparação), e você está confiante. As chances de ela escrever a você é muito maior do que as chances de uma MILF se quer RESPONDER a você em um site de coroa.
  3. Elas não estão à procura de relacionamentos Elas estão em um site de traiçao de casado por isso está muito implícito que elas querem discrição e um relacionamento principalmente sexual. Isto significa que além da primeira ou segunda reunião você é basicamente o seu peguete.
  4. Você pode se destacar com uma foto de perfil! Em sites de traição a maioria dos usuários não tem uma imagem de perfil público de seu rosto. O que é típico é uma foto de corpo como seu retrato público do perfil e então fotos reveladoras em sua galeria privada. Podem compartilhar e revogar o acesso a esta galeria com sua própria discrição com quem quer que elas querem. Entretanto já que você provávelmente solteiro você pode criar um perfil com uma foto pública que inclua sua cara. Isso vai fazer você se destacar 100x vezes mais. As chances são que as mensagens virão antes mesmo de você precisar se apresentar.
  5. Elas etsão solitárias e insatisfeitas com seus maridos. Elas estão em site de infidelidade porque carece atenção de seus maridos. Normalmente, o marido começa a tratá-las como mãe/esposa e já não como um ser sexual. Esta é a sua oportunidade de dizer que elas ainda são sexy e ainda muito desejáveis e acredite que elas precisam/querem ouvir isso desesperadamente.
  6. Elas estão prontas para explorar sexualmente. Estas mulheres estão casadas há anos e o pouco sexo que têm com os seus maridos tornou-se mecânico e "baunilha". Elas estão prontos para apimentar as coisas e são maduras o suficiente para tentar novas experiências sexuais como: BDSM, ménage à trois, dominatrix, etc.
Ok, agora você provavelmente está pensando, "OK, você me convenceu de que os sites de infidelidade são 100x melhores para pegar coroas, mas como eu faço para realmente encontrar uma coroa?" Não se preocupe, siga estas 7 dicas e você vai aumentar drasticamente suas chances de encontrar uma coroa ou MILF em um site de casos.
7 Dicas Para Pegar Coroas Nota: algumas destas dicas são para o uso em sites de traição e algumas são dicas gerais
  1. Mencione a discrição no seu perfil e na sua primeira mensagem. Estas coroas são casados e estão à procura de parceiros casados porque isso garante que ambas as partes serão o mais discreto possível. Assumindo que você não é casado ou comprometido elas vão precisar de segurança de que você é discreto e confiável imediatamente. Considere escrever algo em seu perfil que diz:
"A discreção é muito importante para mim. Eu estou procurando somente parceiras discretas que são mutuamente respeitosas". 2. Mostra que não vai pôr em risco o seu casamento A outra preocupação que as coroas casadas que procuram homens têm é que você homens mais jovens são rápidos para se apaixonar e podem representar uma ameaça ao seu casamento no futuro. Elas não querem estar em uma posição onde você está exigindo que elas se divorciem de seu marido para que ambos possam estar juntos. Elas estão em sites de traição porque elas NÃO querem se divorciar. Assim o que eu recomendo é pôr algo assim no seu perfil e/ou primeira mensagem:
"Não olhando para mudar seu status ou meu, apenas olhando para ver se eu posso encontrar uma boa conexão com limites claramente definidos". 3. Você está disponível! Uma das coisas mais difíceis de se ter um caso é a disponibilidade. Se ambas as partes estão em relacionamentos é muito, muito difícil encontrar um momento em que AMBOS podem fugir de seus cônjuges sem levantar suspeitas. Mesmo quando você concorda sobre um tempo e um lugar, algo pode surgir e um de vocês pode não ser capaz de ir. A boa notícia é que você pode trabalhar em torno de sua programação. Este é um grande bônus então deixe que ela saiba disso! Ela pode nem mesmo perceber o quanto problema programação é se esta é a sua primeira vez traindo. Diga que já que você é solteiro você pode encontrá-la sempre e onde é melhor para ela.
  1. Mostre a ela que você respeita limites. Na verdade, diga a ela que você está ansioso para ouvi-los. Novamente, coroas casadas precisam de discrição e a melhor maneira de ser discreto é estabelecer limites. Pergunte a ela se há alguma regra de discrição que ela precise que você siga. Muitas vezes, são coisas como "não me escreva entre 18h e 23h", "use palavras em código para que se alguém ver as mensagens parecerão inocentes" etc. Tudo isso permite que ela saiba que você está falando sério sobre sua discrição.
  2. Elogie ela! As coroas estão em sites de infidelidade porque seus maridos não as tratam mais como mulheres atraentes e desejáveis. Se elas têm filhos, mesmo que sejam MILFs, é provável que seus maridos as vejam como mães mais do que amantes agora. Elas estão desesperadas por validação que ainda são sensuais e desejáveis e, vindo de um homem mais jovem, isso significa ainda mais!
  3. Acho que você é jovem demais para mim / não é jovem demais para mim? Espere que essa pergunta surja muito. Não se preocupe - este é um bom sinal! Se ela está dizendo / perguntando isso é porque ela está lhe dando a oportunidade de refutar. Se ela realmente se sentisse assim, não responderia a você. Mas agora você está em uma posição crítica; como você responde a isso determinará se você consegue um encontro / relacionamento. Lembre-se de que ela não está falando sério, está testando você. Prepare uma resposta bem pensada a isso com antecedência. Eu acho que este é um bom começo:
“Você realmente se sente assim ;)?” Esta é uma maneira divertida de ir direto ao ponto" "Eu realmente não vejo as coisas dessa maneira. Estou procurando por características como maturidade, confiança, discrição e abertura. Mulheres mais maduras têm mais desses traços e você é incrivelmente sexy." 7. Elas vão pensar que você é imaturo. Imediatamente elas assumirão que você é jovem, excitado e imaturo. Você precisa refutar isso imediatamente. Inicie suas mensagens o mais maduro e profissional possível. Releia suas mensagens e verifique se a ortografia e gramática são 100%. À medida que a conversa continua, você pode se tornar cada vez mais brincalhão, mas a primeira impressão dela precisa ser que você é maduro e inteligente, e não um garoto idiota.
Então aí está, minha opinião extensa e bem pesquisada sobre: Por que sites de coroa não funcionam Onde você pode encontrar coroas REAIS Como você pode maximizar suas chances de entrar em um relacionamento causal com uma coroa Se você leu este artigo e realmente implementar essas dicas, estará dez passos à frente da concorrência e estará no caminho de namorar coroas, MILFs e mulheres maduras.
Ah, e antes que eu esqueça, a pergunta "MILFs e coroas são a mesma coisa?"
A resposta é não. MILF: MILF significa ‘Mãe que eu gostaria de comer’ em inglês. São mulheres com filhos que você acha sexy, só isso.
Coroas (ou cougars em inglês): as coroas são mais velhas, atraentes, mulheres que estão "rondando" explicitamente por homens mais jovens!
O Brasil é um país de trair coroas casadas! Uma em cada dez mulheres casadas encontrou alguém mais de 10 anos mais novo! 8% das mulheres têm encontros casuais com homens muito mais jovens. A maior diferença de idade média entre coroas casadas e amantes é de cinco a dez anos 57% dos homens tiveram um caso com uma coroa casada O estudo constatou que oito por cento das mulheres casadas tiveram um caso com um homem mais jovem Mulheres maduras também são muito atraentes para homens casados. 61% dos homens casados ​​no Brasil têm um caso extraconjugal com uma mulher mais velha. 25% dos homens casados ​​namoraram uma mulher entre cinco e dez anos mais velha. O apetite sexual das mulheres aumenta com a idade, enquanto os homens tendem a atingir o pico em seus vinte e poucos anos. Isso poderia explicar a tendência crescente de coroas casadas em busca de homens. Casados ​​com homens podem ver um declínio escasso no desejo sexual e coroas casadas, eles estão ficando cada vez mais frustrados. Eles agora optam por conhecer um cara que é mais jovem, simplesmente porque sua libido é mais semelhante.
submitted by fobygrassman to coroas [link] [comments]


2020.07.02 17:00 Infeliz_depresivo a verdade que escondo de todos, preciso de ajuda

desde criança fui um desgosto para meus familiares e Sinto que ja estou no fundo do poço, me sinto um merda todos os dias, as vezes pior que isso, sempre levei uma vida, irresponsável, sempre quis fazer o que eu quis, mas isso nunca me levou lado nenhum, hoje acordei cedo, e tive uma forte vontade de morrer, ja tenho 27 anos, a ideia de chegar aos 30 sendo um merda, morando com minha mãe me assusta, eu queria ser diferente, mas não tenho forças para mudar, vejo meus amigos e pessoas ao meu redor sendo felizes, isso me dá muita frustração e ( um pouco de inveja, por mais que eu não queira admitir), eu olho no espelho e me sinto velho, com a idade passando, solteiro e infeliz e depressivo, meus amigos me perguntam por que eu não arrumo uma mulher, eu quero, mas não me sinto bom suficiente para isso, sinto que nenhuma mulher vai se interessar por um homem lixo como eu, meus amigos conseguem namorar mulheres bonitas e até traem elas com outras mulheres lindas, isso me dá raiva e inveja ao mesmo tempo, por eu ser como sou e não conseguir mudar, não sou tipo de homem agrada as mulheres, sei que elas preferem homens com atitude, e altos, eu tenho 1,63, e uma cara de bunda, sou muito feio, quando era mais novo umas meninas me davam bola, mas eu sempre fui muito timido, não tinha atitude para chegar nelas e conversar, sem falar que eu sou viciado em pornôgrafia e masturbação, e algumas drogas, ja tentei parar inúmeras vezes más sempre voltei a prática do mesmo por que apenas isso me faz sentir um pouco melhor, eu ja tou a 4 meses em casa, por causa da quarentena, meu trabalho fechou mas vamos voltar, mês que vem eu acho, eu penso que isso que ta me deixando mais doido e com depressão ficar em casa fechado, eu preciso de ajuda, mas tenho muita vergonha de falar isso com alguém, ate que vi neste site um depoimento parecido com o que eu estou sentindo agora, ganhei coragem e comecei a escrever, obrigado por ler...
submitted by Infeliz_depresivo to desabafos [link] [comments]


2020.05.25 22:55 GreenDayTodayEver Talvez um pedaço da minha história ajude alguém

Galera, há um tempo eu queria escrever uma série de conselhos que desenvolvi durante a vida, em episódios que vivi. Hoje com quase 40, bem casado, posso talvez dar algumas dicas. Me machuquei muito na vida, mas a vida começou mudar quando entendi certas coisas e principalmente quando comecei a me importar mais com as pessoas sem querer nada em troca.
1 - Ache a sua turma e entenda: vc pertence a ela
Quando eu era criança, sofria bullying na escola, todos meus amigos me chamavam de gordinho, eu não ligava e mostrava o dedo do meio para eles. Era ruim de futebol, mas mesmo assim me enturmava com outra galerinha que gostava de mim, que tinha gostos parecidos e foda-se o resto. Sim. Isso machucava porque as pessoas que eu pensava que eram bacanas, não eram.
2 - As expectativas podem te machucar muito
Sempre fui feio. Para falar a verdade, horrível. Até hoje me olho no espelho e falo: cara como tu é feio pra kct e pergunto para a minha mulher: como vc foi gostar de mim assim? Ela ri e me acha o cara mais lindo do mundo, e isso que me importa. E ela é a mais linda para mim e acabou.
Mas curiosamente eu levei diversos foras quando adolescente. Lembro até hoje quando me apaixonei por uma garota e ela me disse exatamente assim: Cara vc é feio pra caramba, vc só sabe tocar guitarra (eu tinha uns 17) vc acha que será alguém na vida? Eu fiquei sem dizer nada, enfiei a viola no saco, como diz o ditado popular e fui embora para casa chorando que nem um bobo com uma roupa nova da bad boy que tinha acabado de comprar com minha mesada e meses que guardei grana para um Rebook Pump só para ficar bonitão e me declarar para ela. (Edit com esse detalhe)
3 - Cuidado com as pessoas que te humilham por vc ser pobre (ser pobre não é para sempre)
Na cidade pequena onde nasci, eu frequentava uma igreja medíocre que existe até hoje, que tinha pessoas "ricas" da cidade. Até hoje, continua a mesma bosta. Não sabem o que é amor ao próximo e continuam "seletivos". Pessoas daquela "casta" sempre humilharam os mais pobres e classe média. Isso incluiu minha família e eu. Não era pobre necessitado na época, mas minha família era de classe média. Meus colegas viviam dizendo que iam para a Disney etc e contavam e contavam como era lá e me traziam um lápis com uma borracha só, mas eu ficava com vontade... Eu não podia ir, meus pais não tinham como pagar, era tempo de vacas magras e, como se não bastasse, tinham falido.
Todos sem exceção tiravam sarro e me humilhavam de graça. Tinha 1 ou 2 amigos de verdade naquela época dentro daquela MERDA DE IGREJA. Hoje eu sei a REAL definição de igreja. Depois no final vcs entenderão.
4 - Não seja o bobo que compartilha conhecimento de graça
Descobri uma grande vantagem no ensino médio: por conta dos meus problemas eu era vagabundo para estudar mas inteligente. Então, percebia que as menininhas bonitinhas e os carinhas populares queriam material de aula para "copiar" minhas notas de aula, exercícios, tiravam dúvidas. Eu não perdoava, mandava a merda e não compartilhava, porque como adolescente, eu via meu pai falar de sucesso, de coisas que vc deve ou não compartilhar e que as pessoas vem sorrindo para geralmente pedir. Me tornei um cara amargo mas ainda inexperiente na vida e as vezes até imbecil no trato com as pessoas. Só não queria me machucar mais.
5 - Seja o melhor. Sempre há tempo. Mas não humilhe ninguém.
Quando entrei na faculdade decidi que a vagabundagem iria me deixar. Conquistei 5 amigos que eram fodas. A gente era a elite da turma no sentido do conhecimento. Não perdoávamos as outras panelas. Nós éramos os Ramones da computação hahahaha. A gente era foda. Só tirávamos notas fodas. Eu tinha amigos DE VERDADE, perdi dois por câncer já. Uma pena, mas, a gente mostrava que estava ali para estudar. Eu era feio, mas as meninas me amavam porque eu era foda. Eu era inteligente, só tirava 8, 9 e 10. Não me formei com nenhum 5, não tive uma DP e fiquei em exame só uma vez numa baita universidade. Mas minha tristeza com as decepções do passado da adolescência me fizeram ficar esperto com as mulheres.
Tratava todos bem. Ajudava a galera e quanto mais ajudava, eu não sei exatamente o que acontecia mas as coisas davam certo para mim. Ajudava todos.TODOS sem exceção e me tornei menos amargo e mais altruísta. Meu apelido entre os maldosos era o bom samaritano, porque os caras falavam: lá vem o crente que não vai em baladas e é mala. Mas não ficava falando de evangelho nada disso. mas minha vida era levada a sério. Só. Eles percebiam que eu estava ali para tentar mudar de vida e não para perder tempo.
6 - Não tenha vergonha de quem vc é
Eu tinha arrumado um estágio no segundo ano da faculdade já. Mas eu teria que ir de carro ... falei para meu pai: e agora pai? fodeu? Eu era quebrado... ele comprou um corcel 2 para mim, velho. Todo ferrado. Demos uma reformada no bicho mais ou menos porque meu pai não tinha dinheiro para comprar um carro melhor. Eu chegava para estudar no inverno de corcelzão vermelho hahahahaha com insulfilme g5 (única coisa que eu tive grana para colocar para não pegar sol na cara) e um rádio pionerr que um amigo da faculdade me deu... e parava ao lado do carro do meu melhor amigo que tinha uma caminhonete da Dodge vermelha que dava para comprar uns 20 carros iguais o meu. E esse cara, grande amigo meu, foi um anjo que Deus colocou na minha vida. Ele falava assim: cara, vc é demais cara, vc é o irmão que não tive, cara vc é foda, vem de corcel todo dia, pega pista, porra cara vc é corajoso (tudo era necessidade) e ele era bom de coração demais para mim.
A gente fazia nossos churras, eu me lembro uma vez que cheguei em um dia de inverno tom o vidro aberto, ouvindo Ramones dentro do corcel ahahahahah e a galera ficava hahahahaha tipo: porra quem é esse cara idiota, nossa que besta, de corcel aqui na faculdade? Credo... essa faculdade tá perdendo o nível.
7 - As oportunidades certas na hora certa
No segundo ano da faculdade, conheci minha esposa! claro tínhamos só 20 anos hahahaha. Minhas notas melhoraram ela me jogou para cima. Foi a melhor coisa que me aconteceu. Conheci ela e começamos a namorar. A minha vida ficou boa e eu estava assim meio ansioso, mas, deixei a vida rolar. Resumo? hoje estamos há 18 anos juntos :-) hahahahahah lembro até hoje quando ela pegou na minha mão dentro do corcel e falou: vc é tão gatinho e inteligente hahahahah (gente eu sou mais feio que o corcel hahahaha), mas, foi assim demais e lembro de cada detalhe.
Conselho: não tenha medo, as coisas acontecem na hora certa. Acredite.
8 - Sendo correto, tudo dá certo
Eu e meus amigos não colamos durante a graduação inteira. Nunca.
Foi tudo uma beleza, todos nós nos formamos! Todos nós demos certo na vida. Todos nós queríamos o bem das pessoas, todos nós estamos casados com as namoradas que conhecemos na época de faculdade e todos nós tivemos ou temos empresa, todos nós JÁ PASSAMOS POR MUITO SUFOCO (nem tudo foi fácil). Um dos meus amigos foi assaltado, tomou um tiro e está vivo. É... galera... vários sufocos.
Com exceção de 2 que tiveram câncer que infelizmente fazem falta pra caramba para nós. O resto está bem, a gente se apoia a gente se importa e a gente sempre faz o bem a quem puder.
9 - Não ligue o foda-se em situação nenhuma - importe-se
Eu mudei bastante minha personalidade por conta dos traumas de infância e passei a querer o bem de todo mundo sem nada em troca e sem medo de me machucar. Porque entendi: pessoas que vem para nos causar mal, estão causando mal a si mesmas. Eu vi muito cara da cidade onde nasci passar necessidades e era o popular da escola, o bonzão. Uma pena. A vida muda, a vida escolhe quem presentear.
Passamos perrengues juntos. Perdemos pessoas queridas, mas éramos fodas juntos. Um ajudava o outro, estávamos ali. Ninguém abandonava ninguém. Até hoje, somos confidentes. Uns estão melhor que outros financeiramente (mas nós mesmos sabemos que isso não importa porque ninguém mudou), mas somos todos iguais e nos ajudamos sempre. Já teve um amigo nosso que perdeu emprego agora na quarentena e estamos sustentando ele e a família. É isso que somos. Unidos, uma família de verdade.
10 - Seja você e tenha seus amigos como Porto Seguro
Seja você. Se vc quer usar jaqueta do Ramones ao invés de dobrar a manga da camiseta porque está na moda para os homens, use a jaqueta. Esqueça a moda se não se importa. Seja você. As pessoas gostarão de vc pela sua autenticidade, pela seu jeito de viver. Por vc ser você! Aproxime-se de quem gosta de vc. Essas pessoas serão um porto seguro. Porque vc será autentico confiável e principalmente AMIGO. não quele coleguinha sem conversas profundas, sem conselhos e sem se importar. Nossa eu tenho tantos coleguinhas galera... é um porre... o cara dá bom dia reclama da vida, quando acontece uma coisa boa na vida dele ele não te conta. hahahahaha. Coleguinhas que querem só encher seu saco e acham que vc é uma cesta de lixo. Coisa boa não conta, mas desgraça é todo dia. É um porre.
Ame quem te ama! Procure amar as pessoas também e desenvolver laços de amizades verdadeiros. Isso demora anos, mas vale a pena.
Continuo sendo cristão, mas não naquela igreja seletiva e podre. Numa igreja que realmente faz a diferença. Todos eles Continuam com suas religiões, mas isso não importa porque nos respeitamos e somos muito amigos. Porque a amizade é verdadeira e nos importamos e convivemos bem com nossas diferenças.
Finalmente...
Enfim galera, espero que essa experiência tenha motivado vc a ser uma pessoa humana, que tenha um grupo de amigos e que se importe. Que vc não se sinta menor por conta das suas dificuldades, ou se "está pobre" vc não é pobre, vc está pobre, mas isso não é para sempre. Tenha o grupo CERTO de amigos e pessoas que gostam de vc e vc não precisará buscar "aceitação" de ninguém. Existe muita gente boa no mundo galera! Minha vida até os 18 foi uma bosta. Mas, da faculdade em diante graças a Deus muita coisa mudou! Mas eu mudei também, larguei a tristeza e parti em direção ao: fazer, ser, se importar, fazer o bem e não ligar para quem nos faz mal e pronto!
Espero ter ajudado.
submitted by GreenDayTodayEver to desabafos [link] [comments]


2019.12.18 01:31 didiramone Mulheres gastam fortunas para se sentirem mais jovens quando podem simplesmente namorar homens velhos.

submitted by didiramone to circojeca [link] [comments]


2019.08.12 07:24 echimenes SOBRE O LADO COMPLICADO DAS RELAÇÕES - HOMOAFETIVAS OU NÃO

Ok, isso é literalmente um desabafo. Acho que já passei da fase das reclamações - e essa nem seria a função desse grupo. Mas aviso desde já: história longa a frente.
Primeiro, vou contextualizar vocês:
Eu tenho 22 anos de idade. Formado em Contabilidade em uma universidade federal. Me considero bonito, tenho boas comunicações sociais no ramo profissional e já trabalho na minha área de formação a quase 2 anos.
Sou gay. Não assumido para familiares - não por escolha, mas simplesmente por que não me preocupo com o que vão pensar de mim. Eu sou o que sou e tenho pleno orgulho de mim. Não preciso ficar anunciando a ninguém. Quem já sabe, e algumas pessoas mais próximas a mim já sabem, me aceitam sem complicações ou preconceitos imaturos.
Sempre fui mente aberta, porém apenas me reconheço como homossexual a pouco mais de 3 anos. Morava em uma cidade minúscula até mudar definitivamente para a cidade onde a minha universidade se localiza, uma das maiores do estado. Aqui, terminei minha graduação e consegui um bom emprego. Viver com a minha avó, depois do falecimento da minha mãe aos meus 11 anos, me fez crescer livre, embora minha timidez excessiva na adolescência não me permitiu ser um cara de festas e baladas, ou bebidas e outras drogas lícitas. Não sou de muitos amigos até hoje, embora seja mais extrovertido do que jamais fui.
Gosto de escrever. Muito. Meu sonho é ganhar dinheiro escrevendo um dia, seja livros ou roteiros de novelas e filmes - confesso: eu penso alto, embora meus pés estejam bem firmes no chão. Sou nerd quando o assunto é ciências, filmes, séries, livros e coisas dessa área pop. Gosto de fazer amigos que curtam o mesmo que eu.
Agora vamos ao "problema":
Eu me apaixonei por um garoto. Um ano mais velho que eu. Nem um pouco nerd e de personalidade extremamente mais dominante, mais autoritária. Um cara mandão, do tipo que não aceita "nãos" como resposta para nada.
Eu, que cresci sendo mimado pelas mulheres da minha família, jamais pensei que fosse me desarmar por outra pessoa como aconteceu. De verdade, pensei que eu fosse ser um grande babaca quando encontrasse o amor da minha vida.
"Grande engano o seu!" - disse o coração.
Pois é, o amor veio. Jamais senti o que senti por ele quando nos conhecemos. Foi bem na época em que eu "soube" que gostava de garotos e esse cara literalmente me ensinou, me introduziu ao mundo LGBTQ+. E só Deus sabe o quanto eu adorei isso. Aprendi a perder o pouquinho de preconceito que eu ainda trazia comigo desde antes de me ver nesse meio. Ele cuidou de mim, me ajudou a me adaptar nessa nova cidade e me fez pensar estar num sonho.
Obs.: sem contar que tudo o que sei 'na cama', adivinhem? Foi ele também que me ensinou. Virgem até os 20. Pronto, falei.
Eu realmente espero que outros homossexuais que lerem esse texto se identifiquem com a minha história. Eu não acho que seja tão incomum assim passar pelo que eu passo.
Começamos a namorar. Eu conheci a família dele. Passei a frequentar muito sua casa e a dormir lá mais vezes do que eu dormia na minha própria durante a semana. Seis meses haviam passado e já fazíamos planos ousados de irmos morar juntos dividir um mesmo aluguel e um mesmo lar. Ter nosso próprio doguinho.
Logo quando encontramos nossa nova casa, com menos de um ano que nos conhecíamos, resolvemos fazer nossa "lua de mel". Compramos juntos uma viagem para o Nordeste, onde ele viu o mar pela primeira vez comigo - eu já havia visto antes, durante um Simpósio no sul em que fui com minha turma da faculdade.
Foi durante essa viagem que senti as coisas começarem a desandar. Eu soube desde o início que ele era obsecado por sexo. E não me entendam mal, eu também gosto, mas no caso dele - ser assumido desde muito pequeno, ter conhecido o mundo do sexo logo com seus 14 anos de idade e nunca ter sido muito controlado pela mãe que o criou para ter cuidado com esses assuntos, creio que isso mexeu com a cabeça dele -, imagino que isso o deixou ser mais guiado pelo lado irracional da coisa.
Eu sei que muitos casais passam por isso. Apimentar a relação, encontrar uma forma nova de fazer. De repente, um brinquedo ou um até mesmo um terceiro. Sim, hoje eu sei que isso é a coisa mais normal no mundo. Não é um bicho de sete cabeças. Não é um BIG DEAL. É o ser humano. Somos nós. Cansamos do mesmo corpo, dos mesmos lábios, dos mesmos assuntos. Não tem a ver com amor. Tem a ver com adrenalina. Precisamos sempre de renovações, de viver novas aventuras. É maior do que nós. Pessoas desimpedidas passam por isso dia após dia. Mas chega a ser um tabu para os casais. E não estou falando apenas de homossexuais. Homens e mulheres se machucam o tempo todo quando chegam nesse estágio do relacionamento. É triste e desencorajador, mas devo dizer que para quem passa por isso, pode ser um grande ensinamento de vida.
Não sei se é por sermos dois homens ou se é por termos feito as coisas muito rápido, mas com menos de um ano de namoro, cansamos um do outro. O amor não diminuiu, pelo contrário, ainda é o mesmo. O que mudou foi a falta de novidade. Ele já tinha tido muito mais experiências do que eu. Havia passado por loucuras que rezo para nunca ter que passar. Mas eu, em termos, ainda sou um iniciante nesses assuntos. Ele queria mais do que isso.
Sugeri um terceiro. Sou MUITO mente aberta. A ideia não me magoou no início, embora tenha me assustado, confesso. Ele prontamente aceitou e aconteceu ainda nesse viagem. Minha primeira experiência a três, mas não a primeira dele, claro. Embora eu não tenho dito nada a princípio, isso mexeu comigo. Não soube como reagir. É estranho ver a pessoa que você ama com outro. Okay, eu deixei, eu permiti aquilo, mas quando aconteceu, fui invadido por um sentimento totalmente novo.
Depois da viagem, as coisas não melhoraram muito. Fizemos a "brincadeira" outras várias vezes, mas parecia não ser certo. Eu vejo pornografia online diariamente como todo garoto da minha idade. Isso nunca me afetou ao ponto do vício.
Então as desconfianças começaram.
Eu ia para o trabalho nos dias em que ele tinha folga e ficava imaginando o que ele estaria fazendo em casa. Ou com quem ele estaria. Vejam bem, não sou ciumento, mas eu já sabia do que ele era capaz por causa do sexo. Aliás, não se trata de ciúmes; é algo mais... ético. Poxa, somos um casal. Praticamente casados com alianças e tudo. Já fizemos ménage antes e não haveria por que pensar que pudesse haver traição no meio. Eu tinha esse sentimento dentro de mim - ainda tenho -, de querer conhecer alguém diferente, me envolver como me envolvi com ele. Sabem? Me sentir como me senti no começo com ele. Quando a chama da paixão era ardente e incontrolável. Mas não poderia deixar nada mesquinho aflorar de dentro de mim. Eu amo ele. Ponto.
E foi então que eu descobri. Eu já estava às vésperas de me formar na faculdade. Estava com emprego novo e tudo parecia correr as mil maravilhas. Eu soube através de um meio anônimo que ele estava saindo com outros caras. Não poderia dizer quantos, mas sabia que eram mais do que um. Meu mundo só não caiu por que sei me virar em situações de emergência. Sei alinhar meus pensamentos. Sei administrar o que é racional do que não é.
Não joguei nada na cara dele. Deixei as coisas fluirem. Continuei a trabalhar durante o dia e pegar o ônibus para ir a faculdade a noite. Nos finais de semana, eu limpava a casa e lavava nossas roupas. Por ter poucos amigos, praticamente não saia nas folgas.
Não demorou muito para eu também começar a sair com outras pessoas. As escondidas, claro. Era só sexo. Nada de contatos. Apenas satisfação da carne. Ele fez, por que eu não podia? Também sou jovem, bonito, por que bancar a Cinderela com a madrasta e as primas más? Podem me julgar a partir daqui, mas me senti revigorado. Senti a chama de novo. Não me senti me vingando, estava muito além disso.
As vezes ainda fazíamos nossos trios, mas com frequência menor do que antes. Então um dia, ele descobriu que eu também pulava a cerca como ele. O cara com quem eu havia saído numa folga minha em que ele trabalhou, não sei por qual motivo - talvez para ver o circo pegar fogo - mandou prints de nossas conversas para ele e aí... bem, não foi tão frio quando eu fui. Brigamos como nunca. Claro que já havíamos brigado antes por vários motivos diferentes - inclusive por sexo -, mas essa briga em especial foi a maior. Decidimos nos separar. Ele jogou varias hipocrisias na minha cara e eu, bem, eu aceitei. Foram sete dias sem nos vermos. Eu já estava pensando em me mudar para a casa de um primo até saber para onde iria, quando tivemos uma última conversa. Abri minha alma, expliquei o que eu havia feito e por quê. Lembram do que falei sobre não aceitar "nãos" como resposta? Pois é, isso vale para não aceitar que a culpa recaia sobre você também. Foi uma conversa difícil. Tínhamos um cachorro para cuidar. Uma casa alugada com um contrato de aluguel ainda longe de vencer e dívidas contraídas juntas para liquidar. Talvez tenha sido a junção de tudo isso, daquela dívida moral que eu sempre vou ter com ele por ter me ajudado tanto no começo, mas reatamos.
Continuamos juntos, embora elefantes ainda caminhem pela nossa casa. Eu sei perdoar. Já perdoei várias coisas e pessoas antes dele. Não guardo mágoas, pois sei dos malefícios que se dão com isso. Não gosto de atmosféras tóxicas dentro de um relacionamento, seja ele amoroso ou não.
Agora, sinceramente já não ligo para as folgas dele. Não ligo para o fato de quantos caras ele vai levar para a nossa cama enquanto eu Não estou por perto. Eu sou mente aberta ao extremo. Talvez se ele tivesse me pedido antes de fazer, eu tivesse deixado. Não estou decepcionado e não me sinto traído. Não choro por isso a noite depois que ele já dormiu. Minha consciência está, acreditem vocês, tranquila. Certa vez, num banheiro público, li a seguinte frase:
"Você tem certeza que não está colocando vírgulas ainda deveria estar colocando pontos finais?"
Pois é, eu sei que estou colocando vírgulas. Muitas. Sinto que metado de mim iria embora no momento em que nos separassemos definitivamente. Pois mudei muito depois que o conheci.
Mudo a cada dia estando perto dele e sabendo do que aconteceu. Me sinto preso. Preso em algo que já parou de andar. Isso me faz querer me odiar, mas eu também tenho amor próprio. Ou será que acho que tenho por pensar assim e fazer algo totalmente diferente?
Eu sou um garoto e a outra pessoa também é. Somos um casal homossexual vivendo num país predominantemente homofóbico e intolerante. Mas eu sei que essa minha história é a mesma que muitos outros casais vivem ou já viveram por aí. Eu amo esse cara. Amo ao ponto de ainda estar com ele depois de tudo. Amo ao ponto de saber que estaríamos melhor separados. Mas me faltam forças para dar esse passo.
submitted by echimenes to desabafos [link] [comments]


2018.10.14 04:30 Garbage_honey9 [Desabafo] Me sinto perdido e abandonado

Me sinto deprimido desde meus 13 anos por ser gay e viver em cidade pequena e conservadora no interior de Santa Catarina. Tentei me matar ainda com 13 mas não deu certo, e por um lado agradeço pois sempre quis viver. Minha vida foi miserável durante toda minha adolescência, nunca tive amigos, sempre tive problemas de imagem e baixa auto-estima. Isso continuou até meus 19 anos quando passei pra UFSC e me mudei pra capital. Nessa época comecei a tomar medicação pra ansiedade e me soltar como nunca antes. No princípio tinha meus medos de enfrentar homofobia, mas logo percebi que aqui eu podia ser eu mesmo. Conheci um amigo que me introduziu ao Tinder, e logo comecei a usar também, assim como Grindr e Hornet. Foi com um cara que conheci no Tinder que perdi meu BV e minha virgindade. Ele tinha uns 40 anos e eu 19. Quando vi ele pessoalmente pela primeira vez já me senti mal, pq ele não era o que eu imaginava, mas eu não tive coragem de dizer não. Demos um passeio no carro dele pela cidade, depois ele me levou pra casa dele e já veio pra cima e transamos. Não foi bom, não gostei e acho que isso pode ser sido o motivo de eu não gostar de sexo até hoje. Mas mesmo apesar disso, comecei a sair com vários caras e transar com muitos homens, por causa da minha baixo auto-estima. Eles me elogiavam e isso me deixava feliz. Minha tristeza voltava e "self-worth" caía se eu ficasse sem sair com alguém por um semana. Então eu continuava saíndo, mesmo não gostando do sexo. Cheguei a marcar mais de um encontro por noite, e também cheguei a sair com uma pessoa por noite durante uma semana. O tempo passava e meu vazio não era preenchido. No final do ano, cheguei a conhecer um guri que gostei bastante, ficamos por um mês e ele me deixou. Disse que ia fazer um intercâmbio e não queria estar preso a alguém. Isso me arrasou. Eu ainda era muito imaturo e sem experiência na vida. Logo voltei a sair com vários homens. Comecei a fazer sem camisinha com alguns que eu achava "confiáveis", so julgando pela aparência e atitude. Nessa época (1o semestre de 2017) cheguei até a fazer alguns programas por menos de 50 reais (eu não me dava nenhum valor). Tudo continuou até o fim do ano passado, quando conheci um cara, mais velho também, que comecei a sair com certa frequência e começamos a transar sem camisinha. Em Janeiro desse ano quando fui pegar o resultado dos meus exames no postinho a bomba veio: fui diagnóstico HIV positivo. Meu mundo desabou completamente. Voltei a pensar em me matar, chorava o dia todo, se antes já tinha uma opinião baixa de mim mesmo agora me sentia a escória da escória. Aguentei só uma semana antes de contar pra 2 amigos. Eles me deram apoio, foram legais, mas o estrago já estava feito. Logo depois meu melhor amigo começou a namorar e basicamente me abandonou. Ele não saia mais comigo, e parou de me visitar. Foi o pior semestre da minha vida, eu chorava e me acabava constantemente, sempre pensando em me matar. Porém nunca tive coragem de ir adiante. Eu sempre fui otimista e sei que o pior passa. Foi o momento mais sombrio da minha vida, e tive que passar por ele sozinho, sem apoio de amigos ou familiares. Comecei a me sentir melhor na metade desse ano. Me sinto mais maduro e inteligente depois disso, e por um lado acho que eu não teria acordado se isso não tivesse acontecido. Então, por um lado, apesar do inferno que foi, me ajudou sem dúvida a me melhorar como pessoa. Mas por outro, eu agora sinto repulsa de sexo. Desde que descobri o meu status, só transei uma vez em março e foi o pior sexo que já fiz. Não consegui sair com mais ninguém desde entao. Sinto vergonha de mim mesmo e do meu corpo (antes não sentia vergonha do meu corpo), e não sei se isso vai melhorar. Sempre fui passivo e hoje sinto nojo de me deixar ser "usado" por outra pessoa. Sinto vergonha de tudo que fiz desde que saí da minha cidade. E tenho medo de nunca conseguir achar alguém que goste de mim. Desculpa pelo texto, deve estar super mal escrito, fui escrevendo ao longo que fui retomando as memórias, e sei que não consigo transmitir bem o que sinto em forma escrita. Eu queria tirar isso do meu peito pra quem sabe seguir em frente mais tranquilamente.
submitted by Garbage_honey9 to arco_iris [link] [comments]


2018.06.29 09:02 fcampos2015 23 anos em branco

Amanhã é meu aniversário de 23 anos.
Eu não tive uma infância muito legal. Eu tinha muito medo de tudo, e era uma criança muito ansiosa e tímida. Eu não sabia fazer a maioria das coisas direito, tipo amarrar o tênis, ou plantar bananeira porque eu tinha medo.
A minha mãe era professora de escola, e a mesma tática que ela usava pra controlar os alunos ela usava comigo. Ela quase nunca me bateu, ela só ameaçava e olhava assustadoramente pra mim quando eu fazia algo que eu não queria. Ela também fazia ameaças malucas ('vou quebrar essa casa', ou 'vou encher a sua cara de porrada'). Um tempo depois eu descobri que ela tirava a maioria dessas coisas de um livro que ela tem no armário
Não ajudava também o fato da minha mãe e meu pai brigarem o tempo todo. Meu pai era meio alcoólatra e batia algumas vezes na minha mãe. A casa era uma bagunça e minha mãe ficava meio depressiva com essa situação e tudo ficava uma merda. Não sei se eu me lembro de pouca coisa da época da infância, porque meus pais brigavam toda a hora, e minha mãe brigava sempre comigo.
Minha mãe sempre trabalhou muito de professora e realmente, deve ser um trabalho muito estressante. Minha mãe trabalhava dois periodos e não tinha muita paciência pra cuidar dos filhos. Eu tenho um irmão mais velho e ele era maior que eu.
Sempre quando eu queria fazer alguma coisa sozinho, minha mãe mandava meu irmão me vigiar, e como eu era meio incapaz pra ela, isso durou até uns 14 anos, e até essa época, ela não confiava muito em mim até pra comprar pão na esquina.
A gente também tinha um play 1, e brigava pra jogar. Como meu irmão era mais forte que eu, ele sempre jogava sozinho. Eu ia reclamar pra minha mãe e ela sempre falava 'Resolve entre vocês aí'. Nem precisa dizer que ele sempre jogava.
Boa parte da minha infância foi assistir e torcer pra meu irmão jogando, eu nunca joguei de verdade e sempre fui muito ruim na maioria dos jogos (eu já falei isso com o meu irmão, ele falou 'nem liga, a gente era criança')
Minha mãe também era meio tímida que nem eu, e tinha um medo do caramba de envergonhar os vizinhos e de que eu me machucasse com alguma coisa. Eu tinha medo de ficar na casa de alguém por mais de 1 hora, porque sempre ela sempre me dava dura por conta disso.
Eu também estudava na escola que minha mãe dava aula, que era meio longe do prédio onde eu morava. Eu nunca tive uns amigos de verdade, porque eu nunca tinha muita intimidade com os amigos da escola (que moravam perto um do outro e sempre falavam disso), e a mesma coisa com os amigos do prédio. Minha mãe tinha muito medo de eu ficar longe dela, e ela não deixava eu sair muito longe na rua (morar em prédio ajudava).
Tudo isso fez com que eu não tivesse muito assunto com as pessoas da minha idade, e como eu era muito ruim nos games e etc, nem nerd eu conseguia ser. Eu passei dos 12 anos até agora fazendo todo tipo de besteira na internet, jogando click jogos, acompanhando canais e etc.
Meus pais se separaram com 10 anos, e um tempo depois minha mãe conheceu outro cara evangélico. Ele logo se mudou pra nosso prédio e depois converteu toda nossa familia, incluindo eu.
O problema é que com uns 14 anos, eu meio que perdi o sentido daquilo. Eu tive uma fase ateu, só que depois de um tempo eu só não achava que igreja era pra mim por enquanto.
Um dia eu disse isso pra minha mãe, e ela disse que 'enquanto você morar debaixo do meu teto, vai ter a mesma religião que eu'. Eu perguntei se ela queria forçar eu a ir e ela falou 'É forçar mesmo', e até hoje eu vou na igreja pra ela não dar chilique.
Meu padastro é até contra, só que ele não tem muita voz, já que ele não é meu pai, e ele sabe disso, e sabe que minha mãe é difícil, e não se intromete.
Com 17 anos eu comecei a faculdade e fui muito mal por vários motivos daí de cima. Além disso perdi uma possível namorada que gostava de mim, porque eu sabia que minha mãe não deixaria eu namorar ela, e ela não entenderia isso. Peguei umas 5 dps (e fiz todas depois) e tals, e até hoje não terminei por conta de estágios obrigatórios.
To começando outra, o problema é que na minha cidade não tem muito emprego, e eu tinha medo de trabalhar antes, pra não ferrar minhas dps e acabei com 22 anos e sem experiência nenhuma.
To meio mal, porque hoje é meu aniversário, e eu não fiz nada de bom com a minha vida. Da minha infância até hoje, eu não tenho nenhuma lembrança muito boa. Eu tenho medo da vida passar muito rápido de agora em diante, e eu morrer sem fazer nada.
Além disso, eu não consigo ter amigos e nem conversar com as pessoas. Eu não tenho a skill social necessária, nem os assuntos, e tenho um bloqueio com dividir intimidade com pessoas (é simplesmente algo que eu não entendo como fazer, e eu tenho medo de falar da minha vida)
Além disso, só vou conseguir sair e ser livre, quando eu conseguir emprego, e sair da casa da minha mãe, o que parece impossível na minha situação, e até lá, já vou ter uns 32 anos, muito velho pra ter assunto com as pessoas e aproveitar a vida.
Eu também me deprimo muito fácil e do nada as coisas parecem ruins e depressivas pra mim, e eu acho que o mundo é ruim, eu não sei se isso é verdade, e se não for, eu não consigo controlar isso.
Eu queria saber se isso é normal, se é loucura. Também queria conversar com alguém pela internet, só que eu tenho essa paranoia de não conseguir falar com homens, e só mulheres, porque eu tenho um bloqueio pra falar desses assuntos com homens (eu sei que não faz sentido). E mesmo se não fosse, acho que eu teria vergonha de falar com mulher, porque eu nunca falei com nenhuma por mais de uns 20 minutos. (exceto da família).
É isso aí galera, eu tenho 23 anos e não me lembro de nada, e tenho medo da vida passar rápido. Nem sei porque eu to escrevendo, acho que aqui as pessoas são mais dispostas a ajudar que em outros fóruns e sites.
submitted by fcampos2015 to brasil [link] [comments]


2017.12.06 03:28 Filipe-simoes Opnião sobre mulheres que se casam com homens mais velhos

Eu sei que há exceções, mas parece que a maioria das mulheres busca, consciente ou inconscientemente namorar homens mais velhos, tipo de 6 a 9 anos mais velho. Sempre me perguntei o motivo disso, algum de vocês tem alguma hipótese a respeito?
submitted by Filipe-simoes to brasil [link] [comments]